Menininha do Papai

22:20 Nathalia Russo 0 Comments

Mais uma das minhas colunas, eu não costumo esquecer nada que escrevo, mas esse eu havia esquecido, fui achar a revista esses dias com a mudança e parei pra ler alguns dos meus textos. Até chorei [. que bobona .] Segue ai ! 

 "...Porque você pode amar perdidamente um homem, mas nenhum homem do mundo saberá o quanto é bom lembrar do seu primeiro “Eu te amo. Papai...”    


                                     
                                                                                 
Costumo escrever para homens que não sabem amar, homens que só querem enganar, homens assim, homens assado... E quando estou apaixonada, Vixee!! Sai de perto, faço dele um príncipe com capa, espada e cavalo branco. Mas nunca parei pra escrever para um homem que realmente vale a pena, e acreditem que esse homem existe e está mais perto do que vocês pensam.
Lembra quando você era pequena, que pegou o vestido vermelho da mamãe, borrou o batom na boca, e gastou todas as sombras coloridas, depois procurou o sapato mais alto que tinha, e correu pra sala desfilar?!
Mesmo parecendo uma palhacinha, pisando na barra do vestido longo, quase caindo de cima daqueles saltos enormes, não lhe faltaram elogios. Da mamãe, da titia, da vovó, do vovô, mas principalmente da única pessoa que você pretendia chamar atenção, que estava num cantinho com os olhos brilhando. Realmente o Papai era a única pessoa na qual você queria atrair o olhar. E sem sombras de duvidas, receber elogios do papai era mais importante do que receber do resto da família.
O Papai, era o super herói, o Rei e também o Príncipe encantado, e você jurava que quando crescesse iria se casar com ele. Ahnn!! como o papai adorava ouvir isso.
Mas daí você cresceu, mesmo no parquinho já tinha namoradinho, e quando foi pra escola chamava atenção dos olhinhos dos garotinhos. Chegando na adolescência queria mesmo chocar todos na rua com a tinta rosa no cabelo, queria olhares, de admiração ou de espanto, não importava.
As menininhas crescem, e é pior ainda quando elas, ainda novas são fatalmente lindas.

Você cresceu, não é mais aquela menininha com cara de anjo que sempre pensaram ser imutável.
Papai quem diga, passava a noite com cara de bravo com os gracejos que vinham de todos os lado, olhando para aqueles marmanchões que insistiam olhar para seu decote: “ O que esses tarados estão olhando, ela só tem 16 anos meu chapa, é minha filha!!”
Mas não adiantava mais a mamãe tentar convencer que você não era mais uma menininha, é duro para o papai ouvir isso. Mais duro que a dor do parto, é um pai ver que não pode mais competir pela atenção de sua filha com os garotos.
Porem o papai sempre vai recordar de você como a menininha dele, com os olhos cheios de lagrimas enquanto tiver vendo o álbum da família, ele ira sorrir com a mesma satisfação que teve no seu primeiro desfile. E sabe por que? Porque você pode amar perdidamente um homem, mas nenhum homem do mundo saberá o quanto é bom lembrar do seu primeiro “Eu te amo. Papai...”