Irritação máxima hoje. Chico me dê calma !

13:43 Nathalia Russo 0 Comments

Nessas ultimas semanas eu tenho me estressado muito fácil, além do normal. Sim, sou uma pessoa estourada, eu sempre admiti isso, mas notei que estou extrapolando e nem sei dizer o motivo.

Talvez se eu saísse um pouco de casa, mas sair de casa pra mim é um desafio. Não gosto de sair de casa, saio somente o necessário, mercado, clientes, família e eventos obrigatórios que me fazem sair. Mas sei que não é isso. 

Achei que a falta de uma rotina estava me incomodando, planejei numa folha A4 á caneta minhas regras de doméstica, cuidados com a casa e afins. Sou tão parecida com meu computador que preciso de uma programação para que o bom funcionamento me deixe produtiva. Tenho hora de levantar, de comer, onde tenho que organizar, o que tenho que fazer. Esses horários marcados aliviam minha mente para pensar nas prioridades.

Eu não ligo de ter que arrumar a casa sozinha, a casa nem é tão grande, mas o que me incomoda é a falta de respeito do meu cônjuge. Sei que ele tem seus afazeres que tomam muito mais tempo que o meu, quase não tem tempo de dormir quanto menos me ajudar nas coisas de casa. Eu respeito, por isso não lhe perturbo, mas gostaria que esse respeito fosse recíproco, mantenha as coisas que eu arrumei no lugar. 

Quando estou levantando pela amanha, ele acaba de dormir, levanto num bom humor, mas na primeira virada de cabeça que dou correndo os olhos pelo quarto, já tiram toda essa áurea reluzente do despertar, para uma fúria que se eu não conseguir contem, provavelmente corre pelo quarto tacando tudo que ele deixou revirado em cima da cabeça dorminhoca dele. 

Sapatos espalhados, roupas no chão, aquele treco de medir pressão que parece se multiplicar pela casa, junto com o estetoscópio e toda aquelas parafernalhas de médico, eu tenho quase certeza que só de jaleco ele deve ter comprado três, mas andando pela casa eu posso contar uns vinte pelo menos. 

Já a cozinha, o erro é meu, eu deveria levantar antes dele chegar para evitar que ele pise na cozinha e encoste no meu fogão, ele não é uma pessoa normal de manha, não toma café de uma forma normal, ele prefere descongelar salsichas pra comer com pão, junto ele deixa uma crosta de ovos mexidos grudados na frigideira que nem se quer passa uma água pra me facilitar a lavar depois, deixa todas as panelas sobre o fogão na qual estava limpo até noite passada, e agora tem óleo espalhado até no puxador do forno.

As chaves e a carteira é verdadeiramente insuportável, sempre larga em cima de algum cômodo que quando ele precisa sair sempre atrasado, me grita perguntando onde ele largou, eu só fico ouvindo, nas primeiras vezes eu ajudava procurar, até achava graça na falta de memória ou bom senso de colocá-las no chaveiro que eu mesma fiz do lado da porta de entrada. Mas depois da décima vez, o andar apressado dele revirando tudo procurando as chaves me deixa igual á uma panela de pressão pronta pra explodir. 

Tirando que não tem a mínima classe de andar sobre tapetes, ele simplesmente chuta-os para longe. Não bate o pé antes de entrar, e suja tudo com aquele sapato imundo da rua. O pior que é ele não tira a roupa que ele estava trabalhando quando chega em casa, ele esteve em meio à doenças ... e gente doente tossindo e espirrando em cima dele, e acha que ficar com aqueles vírus no corpo é tendência de moda. 

Eu nunca andei descalça na minha própria casa, nem para tomar banho. Eu já tenho imunidade sempre em baixa, e levando em consideração, quando adolescente num ato incontrolável de chamar atenção, eu tomei duas cartelas inteiras de antibióticos, eu sei que se eu precisar de antibióticos ele não vão agir por meu organismo ter feito amizade com eles. Enquanto isso meu marido durante o dia trabalha num hospital com gente doente, e a noite, ele trabalha num hospital com animais doentes. Eu vivo numa jaula com vírus para todos os lados. E ele não tira a porra da roupa suja quando chega em casa, simplesmente deita na cama com elas, deita no sofá da sala, no sofá do escritório, parece querer marcar território com aquela infestação de doenças atrás dele. 

O bom é que ele passa a maior parte do tempo fora, e quando está em casa, ele está dormindo. Acho que isso é bom, pelos trinta minutos que fica ligado em casa, ele consegue transformar o lar doce lar num barraco de favela. Quando tem jogo do Corinthians é quando me sinto no meio do capão redondo, gritos e xingamentos com a televisão, berros de comemoração sujos que ele solta pro lado de fora da porta para que a vizinhança inteira saiba que aqui tem um torcedor idiota igualmente com os barraqueiros que estão na arquibancada do estádio. 

Meu Deus ! não era assim que eu imaginava. Na casa dos meus pais, o meu Pai é uma pessoa totalmente higiênica, está pra nascer alguém mais higiênico que meu pai, ele consegue ganhar da minha mãe fácil. Meu pai limpava casa, lavava roupa e louça, tirava os sapatos antes de entrar, odiava ver tapete revirado e coisas fora do lugar. Quando eu morava com eles, eu me incomodava com isso, mas hoje... Nossa .. que falta faz um Rogério aqui ! Ele limpava o quintal todos os dias por causa do cachorro, e olha que o cachorro do meu pai é velho, surdo e manco. 

O Tony só limpa o quintal de sábado e nós temos dois enormes Blue Hillers , que inclusive a Maiden estava no cio até ontem, derrubando sangue pra todos os lado. Eu não limpo quintal, a idéia de ter cachorro foi dele, e eu disse que ele seria responsável por isso. É como uma criança prometer que se tiver um cachorro ela vai alimentar e limpar a sujeira, mas você sabe que nunca vai acontecer. Eu gosto de cachorro, desde que eles fiquem na casa do vizinho. E não sujando o meu quintal. 

Eu tinha tantos planos para o quintal quando alugamos aqui, eu ia tomar sol, fazer minha horta, iria construir meu sofá de paletes, iria ler um bom livro na rede, e iria ficar esperando a primeira estrela aparecer no céu para fazer um pedido. Mas agora isso parece um sonho tão distante, os cachorros não permitem fazer nada lá fora, nem estender as roupas no varal sem eles discretamente dizer: “- Tem certeza que vai deixar suas roupas ai? Desacompanhadas?” 

É tarde pra lamentar isso, eu sei que perante as leis de Deus, você tem que morar com a pessoa após o casamento, mas acho que um mês morando com o noivo já seria o ideal pra descobrir se vai dar certo esse contrato. Agora é até que a morte nos separe. E ... sim... vai ser assim, é o único fim plausivo para Deus. O milagre que eu me apego é “ A oração do justo pode muito em seus efeitos “. 

Um dia, quem sabe, eu possa levantar e ver tudo no lugar, e começar meu dia maravilhosamente BEM. 
Agora que eu botei pra fora tudo isso, eu enxergo porque estou irritada. Mas desabafar não melhorou nada o meu dia. Eu vou ouvir um Bom Chico Buarque, desenhar, e fazer as unhas.